Produção e Certificações

Infraestruturas modernas: Morro Peixe

A Satocao inaugurou em 2013 um centro industrial e tecnológico especialmente construído para responder plenamente às exigências do século XXI. Situado na localidade de Morro Peixe, este centro acolhe as instalações de transformação do cacau em goma, armazéns, um laboratório e as instalações administrativas.
Com a finalidade de otimizar os aromas do cacau fino, foi decidido integrar neste centro as tecnologias artesanais tradicionais, como as caixas de fermentação e os secadores solares em madeira. Com a construção destas instalações, a Satocao pode controlar e manter uma altíssima qualidade em grande escala, única no país. Para além da utilização do seu próprio laboratório, a Satocao trabalha também em parceria com as equipas científicas do Centro de Investigação Agronómica e Tecnológica de São Tomé e Príncipe (CIAT) e, em ligação, com o Centre de recherche agronomique français pour le développement (CIRAD).

Da fermentação à exportação

Um rigoroso controlo de qualidade

1- Melhoramento contínuo da fermentação.

2- Secagem solar complementada por secagem mecânica, para assegurar uma qualidade ótima para o cacau.

3- Armazéns secos e muito arejados.

As exportações de cacau da Satocao são analisadas pelo CIAT (São Tomé e Príncipe) e por uma entidade de certificação internacional (BUREAU VERITAS).

Certificação Biológica

É com muito orgulho que a Satocao tem a honra de comunicar que mais de 650 produtores parceiros, de 14 comunidades, 18 médias empresas e 100 ha das plantações concessionadas à Satocao, detêm a certificação biológica. A empresa continua a acompanhar e a apoiar outros pequenos e médios produtores, com o objetivo, de que também eles, obtenham a respetiva certificação biológica. Graças às condições naturais de fertilidade dos solos em São Tomé, os produtores, de modo geral, não utilizam quaisquer fertilizantes na produção do cacau. Além disso, a sua familiarização com determinados procedimentos normalizados da certificação biológica tem-se generalizado progressivamente em toda a ilha.

A caminho de uma Indicação Geográfica Protegida (IGP) “Cacau de São Tomé e Príncipe”

A Satocao participa ativamente nas atividades de apoio ao Governo de São Tomé e Príncipe para proteger o cacau produzido no país através da criação de uma Indicação Geográfica Protegida (IGP), com o apoio da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI). Deve ter-se em consideração que o cacau de São Tomé e Príncipe é já reconhecido pela Organização Internacional do Cacau (ICCO) como um dos cacaus “finos” (ou “aromáticos”) do mundo.

História

Uma longa tradição
de cacau

Empresa Satocao

O envolvimento como cultura empresarial

As nossas plantações

Um pólo de
excelência

Projeto comunitário

Pequenos e médios
produtores

satocao logo